Teerã diz a enviado britânico que detidos invadiram o país

Em meio às renovadas tensões com o Ocidente, o governo do Irã disse que os 15 marinheiros e fuzileiros navais britânicos detidos no Golfo Pérsico nesta sexta-feira, 23, adentraram águas territoriais iranianas ilegalmente, informou uma rede de TV estatal. Ainda segundo o informe, autoridades iranianas convocaram um alto diplomata do Reino Unido no país para protestar contra a "invasão"."Esta não é a primeira vez que o militares britânicos invadem águas territoriais britânicas desde o início da Guerra do Iraque", teria dito um funcionário do Ministério do Exterior britânico, segundo a TV estatal. Ele não foi identificado pelo nome. O funcionário descreveu o incidente como uma "incursão aberta" e uma "entrada ilegal" em águas iranianas.Segundo ele, os militares britânicos foram "detidos por autoridades de fronteira para uma futura investigação sobre a rude agressão em território iraniano".A reportagem informa também que Teerã pediu que Londres explique-se imediatamente e "garanta que isso não ocorrerá novamente".O Ministério das Relações Exteriores iraniano reportou seu "protesto" ao diplomata, que seria um secretário da embaixada, uma vez que não há embaixador britânico em Teerã. Foram pedidas "explicações de Londres o mais rápido possível" ao adido. Segundo funcionários do Reino Unido e dos EUA, os 15 marinheiros e fuzileiros britânicos foram abordados em águas iraquianas do Golfo Pérsico por membros da Guarda Revolucionária Iraniana. O incidente ocorre em meio às crescentes tensões entre países ocidentais e o Irã. Os Estados Unidos e outras potências acusam Teerã de estar produzindo armas de destruição em massas. Além disso, o país persa é suspeito de enviar armas para terroristas e insurgentes no Iraque.Águas conturbadasSegundo o governo iraniano, os militares britânicos estavam nas águas do Rio Arvand no momento da abordagem. O local é o nome iraniano para as disputadas águas na saída do Canal Shatt al-Arab, na divisa entre o Irã e o Iraque. Em 1975, um tratado reconheceu o meio do canal como a fronteira entre os dois países. Cinco anos depois, o ex-ditador Saddam Hussein cancelou o tratado e invadiu o Irã, desencadeando uma guerra de oito anos. O Irã rejeita a jurisdição iraquiana sobre as águas próximas à boca do canal, alegando que elas são iranianas. Em junho de 2004, seis fuzileiros navais britânicos e dois marinheiros foram presos no mesmo local por forças iranianas. Eles foram mostrados vendados na TV do país e soltos três dias depois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.