Teerã inicia testes em usina nuclear e anuncia aumento de centrífugas

A primeira usina nuclear do Irã, construída no porto de Bushehr com a ajuda da Rússia, começou a funcionar ontem em fase preliminar, afirmaram funcionários iranianos. Os testes representam um importante passo na direção do pleno funcionamento da usina, que há muito tempo preocupa os EUA e seus aliados por causa das ambições nucleares de Teerã.Não se sabe ao certo quando o reator começará a funcionar com toda sua capacidade, mas, segundo o chefe do programa nuclear iraniano, Gholan Reza Aghazadeh, a fase de testes pode durar de "quatro a sete meses". Os testes na usina são feitos por computador e têm como objetivo assegurar que nenhum problema de funcionamento ocorra no futuro, quando urânio enriquecido for introduzido no reator.No mesmo dia em que a usina começou a funcionar, Teerã afirmou que aumentou o número de centrífugas de enriquecimento de urânio para 6 mil - em novembro, 5 mil centrífugas estavam em funcionamento. De acordo com Aghazadeh, o governo pretende aumentar ainda mais o número de centrífugas no futuro. "Nos próximos cinco anos, prevemos ter 50 mil centrífugas", disse Aghazadeh. "Nosso plano para instalar e manter as centrífugas em funcionamento não está relacionado a condições políticas. Temos um plano e continuaremos com ele."O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, condenou as declarações de Teerã. "Os testes em Bushehr deveriam ser vistos como uma péssima notícia para toda a comunidade internacional, pois mostram que o programa nuclear do Irã está progredindo", disse Palmor.O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, também criticou os testes e pediu sanções mais severas contra Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.