Teerã trabalha para afastar dos EUA os novos governos

Com ou sem a queda de Bashar Assad, a dúvida é saber de que lado ficarão os sírios. "A Arábia Saudita ainda busca cooperação com Damasco para conter o aumento da influência xiita no Líbano e no Iraque. O governo sírio apoiou a mobilização das tropas sauditas no Bahrein em apoio à monarquia de Al-Khalifa, apesar de o Irã estar ao lado dos xiitas", diz Michael Young, um dos principais analistas políticos libaneses. "Damasco não romperá com Teerã agora, mas Assad precisa dos sauditas para conter a revolta dos sunitas em seu país. E a Arábia Saudita precisa da Síria para conter a influência xiita no Iraque e no Líbano." Nesta guerra fria, Kupchan, do Eurasia, afirma que o Irã deve continuar agindo para sabotar não só os interesses sauditas mas também dos americanos. Teerã também deve usar o discurso anti-EUA para atacar Riad. ''A avaliação em Teerã é que os governos que assumirem o poder no lugar dos regimes tendem a ser menos pró-americanos,''.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.