Televisão iraniana exibe novo vídeo de militares britânicos

O canal de televisão oficial iraniano em língua árabe, Al-Alam TV, exibiu neste domingo, 1, vídeos em que dois dos 15 militares britânicos capturados apontavam diferentes localidades em um mapa do Golfo Pérsico. O Al-Alam disse que os dois marinheiros estavam identificando onde seu barco entrou em águas iranianas, no dia 23 de março, levando a sua captura. O canal de TV havia anunciado ainda neste domingo que emitiria novas "confissões" de outros dois militares britânicos detidos pelo Irã. Segundo responsáveis da rede, que emite via satélite para todos os países do Golfo Pérsico, a Al-Alam emitiria trechos de novas entrevistas com outros dois militares britânicos. A exibição deste novo vídeo ocorre pouco depois de o governo britânico informar neste domingo que mantém contatos diretos com Teerã para a libertação dos quinze militares da Marinha britânica.Diálogo continuaO governo britânico está em "conversas bilaterais diretas" com o Irã na tentativa de conseguir a libertação dos 15 marinheiros detidos por Teerã, afirmou o ministro da Defesa da Grã-Bretanha, Des Browne, neste domingo. "Estamos ansiosos para que essa questão seja resolvida o mais rápido possível e que seja solucionada por meios diplomáticos, estamos fazendo todos os esforços neste sentido", afirmou Browne para a rede BBC. Ele não quis dar detalhes, mas disse: "Nós estamos com conversas bilaterais diretas com os iranianos".O impasseA captura dos britânicos ocorreu na sexta-feira passada, 23. O Irã alega que os militares invadiram águas territoriais do país, afirmando que estes poderiam estar ensaiando um ataque.A televisão estatal iraniana exibiu imagens da única mulher no grupo dos 15 britânicos capturados, que aparece admitindo que os britânicos estavam em águas iranianas. Para Londres, a declaração deve ter sido obtida sob coação. Logo após, outro vídeo semelhante foi exibido. Um dos marinheiros, identificado como Nathan Thomas Summers, reconhecia que o grupo entrou "ilegalmente" no país e afirmando que "tudo o que os iranianos querem é um pedido de desculpas" por parte do governo britânico.Os iranianos também exibiram vídeos onde um coronel exibia o GPS do grupo inglês, afirmando que o aparelho indicava que haviam invadido as águas iranianas.O governo do Reino Unido nega a acusação, e alega que os militares estavam em uma operação de rotina em águas iraquianas quando foram abordados.O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, exigiu que o Reino Unido deve se desculpar com seu país, algo que Londres se nega a fazer por enquanto. Ambos os países divulgaram imagens por satélite e mapas para demonstrar que têm razão na disputa: o Reino Unido insiste em dizer que estava em águas iraquianas, ao passo que o Irã acusa invasão no seu território.Texto ampliado às 18h36.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.