Romário Cunha/VPR
Romário Cunha/VPR

Tem de arrumar uma solução para o Maduro ir embora, diz Mourão 

Ele negou que o Brasil tenha se precipitado ao reconhecer o líder opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela

Daniel Weterman e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2019 | 19h15

BRASÍLIA - O presidente em exercício, Hamilton Mourão, defendeu como solução para a Venezuela a saída de Nicolás Maduro do país. "Isso eu já falei várias vezes. Tem de arrumar uma solução para o Maduro ir embora, né? Embarca lá com o bandão dele para algum país aí que o receba e pronto, segue o baile, a Venezuela volta a tentar se reorganizar democraticamente", declarou Mourão ao deixar o Palácio do Planalto nesta quinta-feira, 24. 

Ele negou que o Brasil tenha se precipitado ao reconhecer o líder opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. O presidente em exercício destacou que o governo brasileiro seguiu o que estava previsto com os demais países do Grupo de Lima. "As críticas vão ser sempre. Como é que dizia o Nelson Rodrigues? Toda unanimidade é burra. Então tem que ter crítica."

Questionado se o fato de Brasil e Rússia terem adotados posicionados diferentes em relação ao governo venezuelano não prejudicaria a relação dos Brics (grupo do qual os dois países fazem parte), Mourão negou. "Não, porque dissensões sobre determinados problemas sempre haverá dentro do grupo. Não há homogeneidade nas decisões."

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia manteve o reconhecimento de Maduro como líder da Venezuela. O presidente em exercício declarou ainda ser impossível prever um desfecho para a situação do país vizinho. "Aí teria de ter bola de cristal." 

Acompanhe ao vivo notícias em tempo real sobre a crise na Venezuela

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.