Atef Safadi/Efe
Atef Safadi/Efe

Tem início processo de exumação do corpo de Yasser Arafat

Intenção é esclarecer as causas da morte do líder palestino, após especulações sobre possível envenenamento

Efe,

13 de novembro de 2012 | 17h19

RAMALLAH - A Autoridade Nacional Palestina (ANP) isolou nesta terça-feira, 13, o túmulo de Yasser Arafat como parte dos preparativos para a exumação de seu corpo, que será submetido a vários testes para esclarecer as causas de sua morte em 2004. O túmulo, localizado em um mausoléu dentro do complexo de Muqata em Ramallah, estará fechado ao público durante as próximas duas semanas, informou a agência palestina Maan.

O túmulo começou a ser aberto e a exumação ocorre nos dias 26 e 27. A investigação está a cargo da Justiça francesa e a análise das amostras que serão extraídas do corpo do ex-líder palestino será feita em Paris pelo laboratório Toxlab, o mesmo encarregado de examinar os documentos médicos requisitados no hospital militar de Percy (perto da capital francesa), no qual Arafat faleceu.

As causas da morte do histórico líder nunca foram divulgadas, o que suscitou especulações sobre um possível envenenamento, avalizadas em parte porque no hospital não submeteram o então presidente palestino a exames de metais pesados. No alvo das acusações estão os serviços secretos israelenses.

Em Paris foi informado nesta terça-feira que um grupo de magistrados franceses, acompanhado por policiais e por um médico jurista, visitarão Ramallah entre os dias 25 de novembro e 1º de dezembro para participar da exumação. A ANP também pediu a cooperação nos exames periciais do Instituto de Radiação Física de Lausanne (Suíça) que, como parte de uma investigação da rede de televisão catariana Al-Jazeera em julho, encontrou níveis anormais de polônio 210 em roupas e utensílios privados do mítico líder palestino.

Por essa descoberta, a viúva de Yasser, Suha Arafat, formalizou na França uma denúncia contra suspeitos desconhecidos por um suposto envenenamento. Além de exumar o cadáver, os investigadores franceses recuperarão sua roupa e interrogarão pessoas que trabalharam e estiveram em contato com Arafat entre os dias 1º de janeiro e 28 de outubro de 2004, entre elas seus médicos.

Uma parte da equipe suíça chegou a Ramallah no último dia 5 para preparar a abertura do túmulo e os testes que terão de realizar. "Há uma completa cooperação entre nós, os investigadores franceses e os analistas suíços", assegurou nesta semana o atual presidente da ANP, Mahmoud Abbas, que também pediu ao governo da Rússia que esteja presente durante a exumação, como testemunha. 

Tudo o que sabemos sobre:
Yasser ArafatPalestinaexumação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.