Temendo ofensiva Taleban, general dos EUA pede mais tropas

Sinais de uma nova ofensiva Taleban no Afeganistão começam a surgir, mas a OTAN ainda necessita de mais de mil soldados no local, apesar dos repetidos pedidos a nações aliadas, disse o general americano John Craddock nesta sexta-feira.Craddock afirmou aos repórteres que enquanto os aliados estão vencendo mais batalhas contra insurgentes, estão perdendo a guerra interna contra produtores de ópio, e mais trabalho e coordenação é essencial nos esforços de reconstrução.O general acredita que já aumentou o número de ataques suicidas e bombas nas estradas. Ele possui atualmente apenas dois batalhões (um batalhão é composto por, em média, 800 soldados), apesar dos prometidos 7 mil soldados adicionais, incluindo mais de 3,5 mil dos EUA.Segundo informações do general, de 30%-40% das 25 equipes de reconstrução do país não têm o número de integrantes que precisavam, particularmente o Departamento de Estado e peritos em agricultura.Mais experts em agricultura são considerados essenciais, já que autoridades estão tentando controlar o mercado das drogas que domina a economia do país e provê financiamento chave para os insurgentes.Craddock também concorda que o Paquistão precisa controlar melhor suas fronteiras, enquanto o Taleban e outros insurgentes continuam um livre êxodo para o Afeganistão.Por volta de 26 mil soldados dos EUA estão no Afeganistão. Aproximadamente 15 mil deles estão servindo a forças da OTAN, que somam atualmente 35 mil. Os outro 11 mil são forças especiais de operação ou soldados afegãos em treinamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.