Temendo ser preso, Rosales cancela visita à Europa

Exilado no Peru, o líder antichavista e ex-prefeito de Maracaibo, Manuel Rosales, cancelou uma viagem que faria à Europa temendo ser preso pelas acusações de corrupção que enfrenta na Venezuela.Seu advogado, o congressista venezuelano Javier Valle Riestra, tenta há três semanas persuadir a Interpol a retirar um mandado de prisão contra Rosales, argumentando que o processo é de ordem política e não judicial. Mas, diante da recusa da organização internacional, recomendou a seu cliente que cancelasse a viagem.Rosales iria a Bruxelas e Estrasburgo, onde tentaria angariar apoio do Parlamento Europeu contra o presidente Hugo Chávez. Para Valle Riestra, porém, o mandado expedido pela Interpol é "ambíguo" e dá margem para cada país decidir, por conta própria, o que fazer com Rosales, caso ele entre em território europeu.ATRITOSO governo peruano concedeu asilo a Rosales duas semanas atrás, alegando razões humanitárias. No dia seguinte, Caracas ordenou o regresso imediato de seu embaixador em Lima e anunciou a "avaliação integral" da relação entre os dois países. O ex-presidente do Peru Alejandro Toledo e um grupo de 60 personalidades públicas e políticos peruanos respondeu criticando o "autoritarismo e a intolerância" da Venezuela.Rosales é investigado por não conseguir explicar como ganhou US$ 60 mil entre 2002 e 2004, período em que governou o Departamento de Zulia. Denunciando uma "perseguição política", Rosales exilou-se no Peru no mês passado.

Efe, LIMA, O Estadao de S.Paulo

15 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.