Temor com Rússia pode levar Otan a criar força especial

Segundo Rasmussen, a nova força poderá ser composta por milhares de soldados que seriam fornecidos de forma rotativa entre os membros da organização

Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2014 | 10h57

Líderes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) vão discutir nesta semana uma proposta para a criação de uma força de emergência e a estocagem de equipamentos militares e suprimentos no Leste Europeu para ajudar a proteger países-membros da entidade contra possíveis agressões da Rússia, afirmou hoje o secretário-geral Otan, Anders Fogh Rasmussen.

"(O plano) vai garantir que tenhamos as forças certas e os equipamentos certos no lugar certo e na hora certa", comentou Rasmussen. "Não que a Otan queira atacar alguém. Mas porque os perigos e ameaças estão mais presentes e são visíveis. E faremos o que for necessário para defender nossos aliados."

O presidente dos EUA, Barack Obama, e líderes de outros países que integram a Otan iniciam na quinta-feira (04) uma reunião de cúpula de dois dias, no País de Gales. A expectativa é que o encontro seja dominado por debates sobre como a aliança deverá reagir no longo prazo a ações da Rússia contra a Ucrânia e sobre implicações para a segurança na Europa.

Segundo Rasmussen, a nova força poderá ser composta por milhares de soldados que seriam fornecidos de forma rotativa pelos 28 países que formam a Otan. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
RússiaOtanproposta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.