Temor de vaia faz Berlusconi desistir de encontrar Schroeder

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, e o chanceler alemão Gerhard Schroeder deveriam se encontrar nesta sexta-feira à noite para selar uma reconciliação após a rusga entre ambos provocada por declarações do chefe de governo italiano no mês passado. O cenário seria a Arena de Verona, palco de gladiadores na era romana, onde assistiriam a uma ópera. Mas o porta-voz de Schroeder, Bela Anda, disse que Berlusconi decidiu não ir à ópera por temer que sua presença provocasse vaias e outras manifestações por parte da platéia. O escritório de Berlusconi não comentou o assunto. ?Havia razões para temer que haveria demonstrações contra o premier italiano e por essa razão ele decidiu não aparecer?, disse Anda. Um planejado encontro entre os dois governantes previsto para sábado não foi alterado, acrescentou. A ópera a ser encenada hoje é baseada na tragédia de Shakespeare ?Romeu e Julieta?, que se desenrola precisamente em Verona. O mal-estar entre os dois governos surgiu devido a comentários feitos por Berlusconi ao assumir a presidência rotativa da União Européia. O premier italiano fazia sua primeira aparição no Parlamento Europeu quando o deputado alemão Martin Schulz criticou uma lei recentemente aprovada na Itália que congelava um processo por corrupção aberto contra Berlusconi. Berlusconi devolveu a crítica dizendo que o legislador poderia figurar como guarda nazista numfilme. Os alemães ficaram indignados, mas Berlusconi se recusou a pedir desculpas.Uma referência de um alto funcionário do Turismo italiano à ?arrogância? dos alemães e às ?louras estereotipadas? germânicas criou ainda maiores dificuldades para a diplomacia bilateral, e acabou levando Schroeder a cancelar sua viagem de férias à Itália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.