Temperatura em Londres bate recorde histórico

Uma onda de calor sem precedentes que já causou a morte de 35 pessoas continua a sufocar a Europa. Na Alemanha, as altas temperaturas deformaram o asfalto em estradas; o nível do Rio Danúbio e de outras vias fluviais diminuiu mais ainda; e os incêndios florestais em Portugal, Espanha, França e Itália afugentaram turistas e moradores. Enquanto isso, os londrinos viveram o dia mais quente de que se tem registro na história da cidade, com os termômetros marcando 35,4ºC e superando a marca de 35ºC alcançada em 1990.Em Paris, a máxima do dia alcançou 39,5ºC, pouco abaixo do recorde de 40,4ºC registrado em 1947. "Pode-se dizer com segurança que esse é um dos verões mais quentes dos últimos 50 anos", disse o capitão Alessandro Fuccello, do serviço de meteorologia da Força Aérea da Itália. Ele se referia apenas à Itália, mas a onda de calor é a mais forte de que se tem lembrança em quase toda a Europa."O que é incomum este ano é a lentidão das áreas de alta pressão, que se estabeleceram há dois meses e meio no sul da Europa, afetando lugares como a Noruega e as ilhas britânicas", prosseguiu Fuccello.Pesquisadores do instituto de meteorologia CNR, financiado pelo governo italiano, garantiram que a atual onda de calor inclui-se entre as cinco piores dos últimos 150 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.