Tempestade de areia causa desvio de vôos ao Cairo

Uma forte tempestade de areia encobriu grande parte do território egípcio hoje, reduzindo a visibilidade a menos de 500 metros nas proximidades do Cairo e obrigando diversos aviões - entre eles o que transportava o presidente do Sudão, Omar el-Bashir - a procurarem outras pistas de pouso, informaram autoridades aeroportuárias. El-Bashir, que faz visita oficial de um dia, teve a rota de seu avião desviada para o aeroporto de Sharm el-Sheik, um destino turístico no litoral do Mar Vermelho, onde reuniu-se com o presidente do Egito, Hosni Mubarak. Outros cinco vôos internacionais foram desviados para outros locais, como a ilha mediterrânea do Chipre ou o balneário egípcio de Hurghada, também na costa do Mar Vermelho, 480 quilômetros ao sul do Cairo, disseram as autoridades aeroportuárias sob a costumeira condição de anonimato. Na área do Canal de Suez, as autoridades portuárias declararam estado de emergência devido a uma possível interrupção do tráfego nesta estratégica passagem marítima. Meteorologistas prevêem que a tempestade de areia, iniciada no deserto ocidental egípcio, dure dois dias. A velocidade dos ventos não foi informada. Tempestades de areia - conhecidas como khamasin, ou 50 dias em árabe - são comuns no Egito nesta época do ano. Normalmente, elas provocam a interrupção do tráfego aéreo, marítimo e rodoviário e, às vezes, acidentes automobilísticos. Em Beirute, capital do Líbano, uma tempestade de areia semelhante reduziu a visibilidade a 500 metros e interrompeu brevemente o tráfego aéreo no principal aeroporto do país, informaram autoridades locais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.