Tempestade de inverno paralisa nordeste dos EUA

Ao menos 21 mortes foram registradas e mais de 6 mil voos, cancelados

Agência Estado

14 de fevereiro de 2014 | 11h33

FILADÉLFIA - Uma nova tempestade de inverno paralisou o nordeste dos Estados Unidos com forte precipitação de neve e granizo. No sul, centenas de milhares de pessoas esperam no frio a volta do fornecimento de eletricidade em suas casas.

Pelo menos 21 mortes ocorreram em decorrência das condições climáticas, dentre elas a de uma mulher grávida atingida por um removedor de neve num estacionamento de Nova York quando colocava mantimentos em seu carro.

A mistura de neve e gelo impediu a decolagem de mais de 6.500 voos na quinta-feira 13. Nesta sexta-feira, 14, o número de cancelamentos caiu para 1.100 em todo o país.

Cerca de 1, 2 milhão de residências e empresas ficaram sem energia na medida em que a tempestade se movia do sul para o nordeste e cerca de 550 mil continuavam no escuro, a maioria na Carolina do Sul e na Geórgia. Muitas escolas permaneciam fechadas em Connecticut, Maine, Massachusetts, New Hampshire, Nova York, Pensilvânia, Vermont e Virginia.

Na capital Washington, os moradores enfrentaram 23 centímetros de neve, volume que chegou a 25 centímetros na cidade de Nova York e a mais de 28 centímetros em partes de New Jersey.

Em Nova York, uma mulher de nome Min Lin morreu após ser atingida por um limpador de neve no Brooklyn. O bebê nasceu por meio de uma cesariana, mas seu estado é grave. O operador do veículo não foi indiciado, disse a polícia, já que o caso parece ter sido um acidente.

No sul, a tempestade deixou árvores e calçadas cobertos de gelo e rompeu galhos e linhas de transmissão de energia elétrica. Na Carolina do Norte, onde a tempestade provocou enormes congestionamentos de trânsito na região de Raleigh, integrantes da Guarda Nacional patrulhavam as ruas em busca de motoristas presos em meio a neve. Algumas ruas de Raleigh continuavam cheias de carros abandonados.

Este é considerado um dos invernos com maior volume de neve já registrados nos EUA. No início deste mês, Washington, Detroit, Boston, Chicago, Nova York e St. Louis já haviam registrado duas ou três vezes mais neve do que os níveis normais.

A precipitação de neve e as tempestades de gelo levaram ao maior número de cancelamentos de voos em mais de 25 anos, segundo um analista da Associated Press. As companhias aéreas cancelaram mais de 75 mil voos domésticos desde 1º de dezembro, sendo 14 mil nesta semana, o que é 5,5% dos 1,35 milhão de voos marcados para o período, segundo cálculos da AP baseados em informações fornecidas pelo site FlightAware./ AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAnevascastempestade de inverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.