Tempestade deixa 53 mil desabrigados nas Filipinas

Mais de 53 mil pessoas tiveram de deixar suas casas e foram levadas para abrigos nas Filipinas hoje, após vários dias de chuvas torrenciais provocadas pela tempestade tropical Meari. Mais de 7 mil pessoas fugiram de suas casas durante a noite apenas na capital, Manila, quando a tempestade aumentou o volume de água das chuvas de monções, provocando enormes enchentes, informou a agência de Defesa Civil.

AE, Agência Estado

24 de junho de 2011 | 10h54

A rápida remoção dos moradores de Manila, na medida em que as água subiam, evitou mortes, disse Benito Ramos, diretor executivo do Conselho de Gerência Nacional de Redução de Riscos e Desastres. "Foi bom termos posicionado botes de borracha com antecedência. Felizmente, as pessoas reagiram bem. Quando dissemos a elas para saírem, elas saíram", explicou.

Apesar disso, 11 pessoas continuam desaparecidas no interior e nas proximidades da península de Bicol, a sudeste de Manila, fortemente atingida por Meari, que passou pelo lado leste do país. Dentre os desaparecidos há dez pescadores que partiram da ilha de Catanduanes antes da chegada da tempestade, além de uma mulher levada pela enchente em outra parte de Bicol, informou o conselho.

Para piorar as coisas, um redemoinho atingiu um subúrbio de Manila hoje, derrubando árvores e postes de energia, além de arrancar o telhado de várias causas. Mas não houve feridos, informou a Defesa Civil. Segundo o meteorologista Jori Loiz, que trabalha para o governo, o redemoinho não teve relação com a tempestade ou com as chuvas.

O escritório do presidente Benigno Aquino emitiu um comunicado elogiando as agências de assistência por minimizarem as perdas em Manila e pedindo à população que continue a contribuir com elas. "À medida que realizamos a limpeza e a reparação da metrópole, somos lembrados a respeito dos desafios trazidos pelo aquecimento global, com seus crescentes desafios climáticos representados por padrões climáticos irregulares", diz o comunicado do palácio.

O serviço de meteorologia do governo informou que Meari ganhou força na medida em que vai na direção de Taiwan, com ventos de 100 quilômetros por hora. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.