Tempestade mata mais de 70 e deixa 250 mil sem casa nas Filipinas

Resgate em massa está em operação após passagem da pior tempestade tropical dos últimos 40 anos no país.

BBC Brasil, BBC

27 de setembro de 2009 | 12h57

Uma operação de resgate em grande escala está sendo realizada nas Filipinas, atingidas por inundações provocadas pela maior tempestade tropical em mais de 40 anos no país.

Há confirmação de pelo menos 73 mortes, mas alguns relatos falam em cerca de cem. Outras 250 mil pessoas perderam suas casas.

As autoridades meteorológicas filipinas culparam a mudança climática pela tempestade Ketsana (ou Ondoy), que fez cair, em seis horas, mais de 40 centímetros de chuva sobre a capital, Manila, deixando 80% da cidade submersa.

O volume equivale a um mês de chuva em toda a ilha onde se localiza a cidade.

As autoridades decretaram estado de calamidade pública na capital e em 25 províncias, permitindo o acesso do governo a fundos de emergência.

Helicópteros e botes infláveis estão sendo utilizados para resgatar moradores que ficaram ilhados nos telhados de suas casas. Neste domingo as águas começaram a baixar e permitiram a intensificação do resgate.

O secretário filipino de Defesa, Gilbert Teodoro, disse que soldados, policiais e voluntários haviam resgatado mais de 4 mil pessoas.

No entanto, muitas estradas ainda estão bloqueadas por veículos abandonados, o que dificulta os trabalhos. Falta energia e muitas linhas telefônicas estão mudas.

Milhares de passageiros tiveram de adiar seus planos de viagem, porque aeroportos nacionais e internacionais foram fechados.

A presidente filipina, Gloria Arroyo, fez um chamado à calma e pediu doações, mas autoridades advertiram que novas inundações podem ocorrer, porque a tempestade tropical continua se movendo pelo arquipélago.

Espera-se que a tempestade, que se move a mais de 100 km/h, atinja na segunda-feira o mar do sul da China.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
filipinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.