Tempestade Matthew leva chuva a Honduras e Nicarágua

A tempestade tropical Matthew fustigou a América Central neste sábado, provocando chuvas pesadas sobre áreas sujeitas a desastres naturais em Honduras e na Nicarágua. Milhares de pessoas foram retiradas de suas casas, em meio aos temores de enchentes e desmoronamentos de terra. A tempestade provocou um desmoronamento na costa caribenha da Nicarágua ontem e atravessou rapidamente a fronteira do país com Honduras, onde se deslocava no sentido oeste, com ventos de 75 quilômetros, em direção a Guatemala e Belize.

AE-AP, Agência Estado

25 de setembro de 2010 | 11h11

Meteorologistas disseram que a tempestade atingirá a fronteira entre a Guatemala e Belize hoje à noite. Estima-se que a tempestade perderá força para uma depressão tropical no domingo. Mas o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês), com base em Miami, afirmou que a tempestade tropical Matthew poderá provocar de 15 a 25 centímetros de chuva antes de se enfraquecer, com a possibilidade de novas enchentes e desmoronamentos de terra.

Algumas partes da Nicarágua já estavam lidando com inundações devido a chuvas anteriores. As autoridades do país ordenaram a evacuação de 10 mil pessoas. Em Honduras, 300 habitantes foram retirados de pequenas comunidades na província de Gracias a Dios, localizada na fronteira com a Nicarágua. A Comissão de Contingências de Honduras informou que o alerta vermelho foi estendido de seis províncias para todo o país.

Na capital Tegucigalpa, milhares de residentes correram para postos de gasolina, supermercados e bancos depois que as autoridades do país recomendaram que as pessoas estocassem comida e outros suprimentos e alertaram sobre três dias de chuvas torrenciais. As autoridades também afirmaram que as aulas poderão ser suspensas até um novo comunicado e 15 mil escolas foram disponibilizadas para serem utilizadas como abrigos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
tempestadechuvasfuracão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.