Tempestade tropical ameaça estragar encontro republicano

Com risco de se tornar furacão, Isaac passará por Tampa quando Romney for nomeado candidato do partido

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2012 | 03h00

A movimentação de republicanos e observadores pelas ruas de Tampa, nesta semana, será monitorada por aviões não tripulados. O município convocou 3,5 mil policiais de cidades vizinhas e gastou US$ 50 milhões com a segurança. Só não terá como controlar a mais temida ameaça ao evento - Isaac, o furacão.

Como tempestade tropical, Isaac castigou o Haiti na sexta-feira, chegou a Cuba ontem e seguiu para o Golfo do México. Depois de o Centro Nacional de Furacão dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês) ter anunciado, no final da tarde de ontem, que o fenômeno alcançaria a Flórida hoje como furacão, a cúpula republicana decidiu postergar em um dia a programação. As atividades de segunda-feira foram canceladas, e o evento será aberto na terça-feira (28).

"Nossa prioridade é dar segurança aos delegados, sub-delegados, convidados e membros da imprensa que comparecerão à Convenção Nacional Republicana, e aos cidadãos da região da baía de Tampa", justificou o presidente do partido, Reince Priebus. "A convenção acontecerá e oficialmente nomeará Mitt Romney e Paul Ryan (candidatos republicanos à Casa Branca), e o partido terá necessariamente outros negócios a resolver", completou.

No mínimo, segundo o NHC, Tampa estará sujeita a chuvas fortes, inundações e ventos de 80 km/h. Uma das áreas mais suscetíveis da cidade é o complexo onde ocorrerá a convenção. Os líderes do partido sabiam da vulnerabilidade da Flórida a furacões, mas o Estado tem, no cálculo eleitoral, maior importância do que qualquer outro.

Na sexta-feira, o FBI e o Departamento de Segurança Interna dos EUA divulgaram um comunicado alertando sobre possíveis distúrbios organizados por grupos anarquistas em Tampa. O comunicado, porém, não cita outro risco de violência - a quantidade de militantes armados. A Câmara de Vereadores de Tampa pediu ao governador da Flórida, o republicano Rick Scott, a proibição do uso de armas durante a convenção, mas os republicanos, em geral, são contra restrições ao porte de armas e Scott negou o pedido. / D.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.