Tempestade tropical Arlene chega ao México

A primeira tempestade tropical da temporada no Oceano Atlântico, Arlene, tocou a terra hoje na costa central do México, causando fortes chuvas sobre uma grande parte do país. O olho da tormenta tocou terra perto de Cabo Rojo, entre os Estados de Veracruz e Tamaulipas, com ventos máximos sustentados de até 100 quilômetros por hora, informaram meteorologistas do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2011 | 14h19

Populações da costa não registraram danos graves pelos efeitos iniciais da tormenta e somente houve a queda de galhos de árvores, acúmulo de água nas ruas e a falta de energia elétrica em parte da cidade de Tuxpan, em Veracruz, informou a Defesa Civil estadual. O governador de Veracruz, Javier Duarte, disse que a precaução da sociedade e da Defesa Civil foi crucial para não haver grandes problemas. Segundo ele, a expectativa é que Arlene deixe o Estado em poucas horas.

Autoridades dos Estados de Veracruz e Tamaulipas, no leste do país, bem como em San Luis Potosí, no centro, se preparavam para possíveis inundações e forte chuvas por toda a costa hoje. O governo estimou que poderia haver até 150 milímetros de chuvas em Veracruz. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA, em algumas zonas montanhosas isoladas podia cair até 375 milímetros de água.

Arlene é a primeira tempestade da temporada de furacões do Atlântico. Ela deve perder força nas próximas horas, possivelmente dissipando-se amanhã, segundo os especialistas dos EUA.

A maior ameaça representada por Arlene para o México é o risco de chuvas torrenciais, inundações repentinas e deslizamentos de terra, informou o governo mexicano. Se houver fortes chuvas em Tamaulipas, estas cairão sobre terra seca, pois o Estado sofre com sua pior seca nos últimos 50 anos. Apesar disso, Tamaulipas ainda tem danos não reparados causados pelo furacão Alex, de categoria 2, que atingiu a região no ano passado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicotempestade tropicalArlene

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.