Tempestade tropical causa perdas de US$ 176 milhões na China

Cerca de 1,2 milhão de pessoas foram afetadas pelas chuvas torrenciais e 3.600 casas foram destruídas

Efe,

13 de agosto de 2007 | 01h46

A passagem da tempestade tropical Pabuk pela província chinesa de Cantão, no sul do país, levou à região as piores chuvas dos últimos 200 anos. Segundo os dados iniciais, 3.660 casas foram destruídas e milhares de pessoas ficaram desabrigadas. Não há registros de vítimas fatais, informou nesta segunda-feira a agência Xinhua. Cerca de 1,2 milhão de pessoas se viram afetadas pelas chuvas torrenciais nas localidades de Zhanjiang, Maoming e Meizhou, onde mais de 3.600 casas foram destruídas, com perdas econômicas estimadas em US$ 176 milhões. O nível da água em vários açudes de Zhanjiang ultrapassou os limites de emergência e várias estradas e vias de trem foram danificadas pelas inundações, o que dificultou o trânsito na região. O Pabuk, que chegou a Hong Kong na sexta-feira passada vindo da ilha de Taiwan, levou precipitações moderadas às zonas do sudeste da China, castigadas por uma forte seca nas últimas semanas. Segundo a Administração Meteorológica da China, as chuvas persistirão no nordeste e sul do país nos próximos três dias (principalmente nas províncias de Liaoning, Jilin e Cantão), enquanto as regiões centrais e nortistas de Hunan, Jiangxi e Guangxi continuarão sofrendo com a seca. A China enfrenta condições meteorológicas extremas nos últimos meses, com fortes inundações, deslizamentos de terra e graves secas, provocando mais de 1.200 mortes neste ano, segundo dados do Ministério de Assuntos Civis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.