Tempestade tropical se aproxima da América Central

Matthew ameaça levar mais destruição à região que já sofre consequências de estação chuvosa

AE, Agência Estado

24 de setembro de 2010 | 17h03

A tempestade tropical Matthew se aproxima da América Central, ameaçando levar mais destruição à região que já sofre as consequências de uma estação mais chuvosa do que o normal.

 

Veja também:

linkLisa ganha força e é 7º furacão do ano no Atlântico

 

A América Central tem sido atingida pelas chuvas mais fortes dos últimos 60 anos, com enchentes e deslizamentos de terra que já mataram mais de 300 pessoas e causaram destruição nos últimos meses.

Meteorologistas dizem que Matthew está acelerando e deve tocar o solo perto da fronteira entre Nicarágua e Honduras na tarde de hoje, antes de dirigir-se para o norte hondurenho entre a noite de hoje e amanhã.

 

Às 12 horas (em Brasília), o centro da tempestade tropical estava a cerca de 130 quilômetros lés-sudeste de Cabo Gracias a Dios, na fronteira entre os dois países, com ventos sustentados de 82 quilômetros por hora, informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, pela sigla em inglês).

Matthew deve provocar chuvas entre 152 milímetros e 255 milímetros em partes da Nicarágua e Honduras, com possibilidade de até 380 milímetros em algumas áreas.

 

"Esse total de chuvas pode produzir enchentes relâmpago e deslizamentos", informa o NHC. Na medida em que Matthew se aproxima, os dois países elevaram seus alertas e comunicaram aos moradores que fiquem vigilantes e tomem as precauções necessárias.

 

O presidente nicaraguense Daniel Ortega ordenou a retirada de moradores da região costeira. O NHC alertou que a tempestade pode provocar "ondas grandes e perigosas". As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.