AP Photo/Manish Swarup
AP Photo/Manish Swarup

Tempestades de areia matam ao menos 125 pessoas na Índia

Muitas mortes foram provocadas pela queda de árvores e muros em consequência dos ventos fortes

O Estado de S.Paulo

03 Maio 2018 | 06h26
Atualizado 03 Maio 2018 | 19h53

NOVA DÉLHI - Ao menos 125 pessoas morreram e outras centenas ficaram feridas em decorrência das fortes tempestades de areia que atingiram os Estados de Uttar Pradesh e Rajastão, no norte da Índia, durante a madrugada desta quinta-feira, 3. Os ventos de até 130 quilômetros derrubaram muros e árvores. As autoridades alertaram que até sábado há grande risco de a situação piorar.

+ NYT: Índia tenta incrementar indústria de equipamentos militares

+ Colisão entre trem e ônibus escolar mata crianças na Índia

As frágeis casas de barro das regiões atingidas foram derrubadas e muitas pessoas morreram enquanto dormiam. Com uma violência rara, o vento arrancou as árvores pela raiz e derrubou os muros de várias casas, assim como postes de energia elétrica.

+ Guru indiano é condenado a prisão perpétua por estupro de adolescente

A Índia registra todos os anos tempestades deste tipo, mas geralmente não provocam destruição dessa magnitude. As autoridades acreditam que o número de mortos pode aumentar, já que as equipes de emergência ainda procuram sobreviventes sob os escombros.

+ Índia dá sinal verde à pena de morte para estupradores de menores de 12 anos

Shivam Lohia, proprietário de um hotel em Alwar, no Rajastão, teve de abandonar o carro na estrada e correr para tentar se salvar depois de quase ser arrastado pelo vento. “Nunca vi uma tempestade tão devastadora em 25 anos. Todos estavam com medo e procuravam abrigo quando as árvores e as casas saíram voando. Foi um pesadelo.”

O distrito de Agra, onde fica o famoso Taj Mahal, foi a região mais afetada, com 43 mortos. O célebre mausoléu ficou intacto. A meteorologia advertiu que novas tempestades podem ocorrer nos próximos dias. De acordo com cientistas, a situação foi provocada pela colisão de dos sistemas meteorológicos ocidental e oriental sobre as planícies do norte do país, que tem 1,25 bilhão de habitantes.

As autoridades indianas pediram que os moradores fiquem atentos. Também recomendaram que os habitantes optem por dormir do lado de fora de suas casas, uma prática recorrente entre os mais pobres nesta estação de calor. 

“Triste pelas vidas perdidas em consequência das tempestades de areia em vários pontos da Índia. Condolências às famílias em luto”, disse o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, em sua conta no Twitter./ AFP e AP

Relembre: Canhão contra poluição

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.