Luke MacGregor/Reuters
Luke MacGregor/Reuters

Tempestades deixam mortos na Alemanha, Holanda e Grã-Bretanha

O transporte ferroviário ainda não funciona em alguns países europeus e casas continuam sem energia

O Estado de S. Paulo,

29 de outubro de 2013 | 12h09

As fortes chuvas que atingem países do norte da Europa deixaram mortos na Alemanha, Holanda e Grã-Bretanha. Serviços ferroviários foram afetados e voos foram cancelados.

Sete pessoas morreram na Alemanha, segundo as autoridades. Devido aos efeitos do temporal, na manhã desta terça-feira, 29, várias linhas de trens foram fechadas na Baixa Saxônia, Bremen e Renânia do Norte-Vestfália.

Além disso, em Flensburg e no distrito de Nordfriesland as aulas foram suspensas em escolas públicas, assim como na universidade de Flensburg, segundo informou um porta-voz do Ministério do Interior de Schlewig-Holstein.

Na segunda-feira, um homem e uma menina morreram em Gelsenkirchen quando uma árvore caiu no carro em que viajavam. Na Baixa Saxônia e Flensburg uma mulher e um homem também morreram após seus veículos serem atingidos por árvores.

Outra mulher morreu quando o muro de seu jardim caiu em cima dela em função das rajadas de vento que alcançaram 70 km/h. No domingo, duas pessoas morreram afogadas, uma próxima de Colônia e outra em um distrito da Renânia do Norte-Vestfália, quando os barcos em que estavam viraram por causa das condições ruins do mar.

Na Holanda, foram registradas duas mortes. Voos estão sendo cancelados em diversos aeroportos e o transporte ferroviário também está prejudicado. O governo estima que o prejuízo com os temporais passe dos 90 milhões de euros.

Na Grã-Bretanha, cinco pessoas morreram e 61 mil casas seguem sem energia nesta terça-feira. Entre as vítimas estão um homem de 51 anos, que morreu pelo impacto de uma árvore que atingiu seu carro; um homem e uma mulher que perderam a vida em Londres em uma explosão de gás causada pela queda de uma árvore; e uma jovem de 17 anos que morreu quando uma árvore caiu no trailer onde dormia.

Os serviços de resgate continuam as buscas por um adolescente de 14 anos que desapareceu na tarde de domingo em uma praia de Newhaven, arrastado pela corrente, confirmou a polícia do condado de Sussex.

Os responsáveis pelos reparos afirmam que o restabelecimento completo da energia lavará alguns dias porque as árvores caídas impedem o acesso a algumas zonas remotas do sul da Inglaterra. Calcula-se que mais de 660 mil residências sofreram cortes de abastecimento em função da tempestade.

Além disso, a Agência do Meio Ambiente britânica contabilizou dezenas de alertas por inundação, dos quais cinco ainda se mantém. Em relação ao transporte, as companhias ferroviárias e os aeroportos esperam recuperar a normalidade no serviço ao longo desta terça-feira depois que centenas de voos e linhas foram cancelados segunda-feira./ EFE

 
Tudo o que sabemos sobre:
Europatempestades

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.