Tempestades e inundações matam 38 pessoas na China

Governo estima que mais de três milhões de pessoas já foram afetadas pelas chuvas

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

Os deslizamentos de terra e as inundações causadas pelas tempestades que castigam o sul da China nos últimos dias causaram a morte de 38 mortos e cerca de 150 mil evacuados, além de afetar mais de três milhões de pessoas. Uma das áreas mais atingidas é a próspera província sulina de Cantão, com 14 mortos, 29 feridos, quatro desaparecidos e 20 mil evacuados devido às inundações e deslizamentos de terra nas localidades de Heyuan, Shaoguan, Meizhou, Shanwei e Qingyuan. Os desastres naturais do fim de semana em Cantão destruíram 3.100 casas, danificaram 26 mil hectares de cultivos e causaram perdas de US$ 35 milhões, com mais de 1,2 milhão de afetados. Na vizinha região autônoma de Guangxi, ao oeste de Cantão, 13 pessoas morreram e uma está desaparecida devido às fortes chuvas especialmente nas localidades de Liuzhou, Hechi, Baise e a turística cidade de Guilin. Em Guangxi calcula-se que 1,7 milhão de pessoas foram afetadas por tempestades e inundações, com mais de 103 mil evacuados e 8.700 casas destruídas. No sábado, já havia a informação da morte de 11 pessoas e da destruição de mais de 158 mil casas em razão das inundações em outras províncias do sul do país (Hunan, Sichuan) e na região noroeste de Xinjiang. Milhares de pessoas morrem por ano na China devido a desastres naturais, sobretudo tufões e inundações no sul do país, durante o verão. Segundo o Ministério de Assuntos Civis chinês, em 2006 morreram 3.186 pessoas devido a estes desastres naturais, 28,7% a mais que em 2005.

Mais conteúdo sobre:
China tempestade inundações

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.