Tempestades e vendavais golpeiam Veneza e Roma

Os proprietários de hotéis de Veneza estão oferecendo pacotes especiais de fim de ano que incluem botas de borracha como brinde. A iniciativa busca driblar o maior período de inundações dos últimos 30 anos. O site da Associação dos Hoteleiros de Veneza, www.veneziasi.it, oferece a promoção ?Veneza e Águas Altas? a US$ 254 por noite, mais ?uso gratuito de botas de borracha? e um mapa com ?caminhos alternativos para pedestres durante a inundação?.No site, há também uma mensagem dos hoteleiros e do prefeito Massimo Cacciari, procurando tranqüilizar os turistas: ?Não se preocupem, não há perigo; o fenômeno das cheias desaparece rapidamente.? No início do mês, as chuvas pesadas e os ventos fortes deixaram Veneza quase completamente alagada. No principal marco da cidade, a Praça São Marco, a água chegou à altura da coxa e os serviços de transportes públicos foram suspensos.Nos primeiros dias de dezembro, o nível do Adriático subiu 1,56 metro, algo nunca visto desde 1968. A marca foi a quarta mais alta dos últimos cem anos. A previsão é de que as ?águas altas? persistirão na cidade enquanto durarem as chuvas e vendavais no norte da Itália. Também em Roma, o prefeito Gianni Alemannom decretou estado de emergência na cidade depois que uma pessoa morreu por causa das fortes chuvas. A malha ferroviária e os aeroportos foram fechados e a polícia bloqueou a principal rodovia. ?É como um terremoto. Choveu mais numa noite do que choveria em dezembro inteiro?, disse o prefeito. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.