Tempestades na China deixam seis mortos

Em algumas regiões, como na metrópole de Nanquim, sudeste do país, as chuvas foram as mais fortes em 66 anos

O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2017 | 01h46

PEQUIM - As chuvas torrenciais que neste fim de semana estão atingindo o sul da China causaram pelo menos seis mortos, enquanto outras três pessoas estão desaparecidas, informou a agência estatal Xinhua. 

Quatro das vítimas faleceram na província de Hubei, região central, uma das mais afetadas. As outras duas mortes ocorrem na região de Chongqing, vizinha. 

As chuvas começaram na última quinta-feira, 8, e provocaram inundações e deslizamentos em algumas regiões de Hubei, onde 171 casas caíram por conta dos desastres naturais e 649 pessoas tiveram de deixar suas casas. 

Em Chongqing, mais de cem casas ficaram destruídas e o número de pessoas que abandonaram seus lares é de 1.300, segundo a agência Xinhua. Além disso, 5.200 hectares de lavouras foram destruídos. 

Na cidade de Nanquim, às margens do rio Yangtsé, foram registradas chuvas de 245 milímetros, as mais fortes nos últimos 66 anos. As tempestades obrigaram aeroportos do país a cancelar 120 voos. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
China

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.