Tennessee cancela execução de condenado à morte

As autoridades judiciais do Estado do Tennessee suspenderam a execução de um condenado horas depois da aplicação de uma injeção letal em outro assassino. Uma porta-voz da Prisão de Segurança Máxima de Riverbend explicou que a execução de Paul Reid foi suspensa depois de a Suprema Corte dos Estados Unidos se recusar a anular um adiamento decretado por uma corte de instância inferior.Uma fonte do Tribunal Supremo do Estado disse que o caso será analisado por um tribunal federal em Nashville. A decisão foi anunciada depois de Sedley Alley ser executado em Riverbend. As execuções deveriam ter sido simultâneas.Reid, de 48 anos, foi condenado à morte pelo assassinato de sete pessoas em 1997. Ele tinha pedido a seus advogados para retirar as apelações. No entanto, o juiz de distrito Todd Campbell opinou que era necessária uma audiência para determinar se Reid tinha a capacidade mental para tomar a decisão.Alley foi executado pelo assassinato da soldado Suzanne Collins, que ele seqüestrou e violou perto de uma base na cidade de Memphis em 1985. Durante o julgamento, Alley afirmou que não era responsável pelo assassinato porque sofria de múltipla personalidade. Em 2004, afirmou que era inocente e que podia provar com um exame de DNA.Se fosse executado, Reid teria sido o caso de aplicação da pena de morte no Tennessee desde 1976, quando ela foi restabelecida no Estado. O Texas executou na terça-feira o mexicano Ángel Maturino Reséndiz, pelo assassinato de uma médica em 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.