Tensão com Japão leva China a boicotar reunião

Em uma reunião no Japão sobre os problemas de Mianmar, os credores internacionais concordaram nesta quinta-feira em apoiar as reformas do país que estão em curso. Apesar disso, os credores não chegaram a um acordo sobre a redução das dívidas em atraso do país, informou o ministro das Finanças do Japão, Koriki Jojima.

AE, Agência Estado

11 de outubro de 2012 | 08h21

Representantes de 26 países, do Banco Mundial (Bird), do Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD), dentre outros, participaram da reunião, num esforço de Tóquio para reingresso do país do sudeste asiático na economia global, e para que seus problemas da dívida se resolvam. Entretanto, os sinais de tensão entre China e Japão ficaram novamente aparentes, pois Pequim cancelou sua participação no evento, de acordo com oficiais do Ministério de Finanças japonês.

"O Japão planeja retomar seu programa completo de ajuda a Mianmar o mais rápido possível, em 2013, com empréstimos de ienes para ajudar o país a desenvolver sua sustentabilidade econômica", informou Jojima. Ele não deu informações sobre o tamanho dos potenciais empréstimos, mas disse que o Japão pretende ajudar Mianmar em setores como o de eletricidade, recuperação de estradas, desenvolvimento rural e nas melhorias das instalações portuárias. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaJapãoMianmar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.