Tensão deve adiar pacto nuclear entre Rússia e EUA

Um acordo civil nuclear entre a Rússia e os Estados Unidos deverá ser adiado até o próximo ano, em meio às tensões diplomáticas entre os dois países provocadas pela crise no Cáucaso. O pacto nuclear, assinado em maio deste ano, monta a estrutura para os EUA receberem tecnologia nuclear russa de ponta e ao mesmo tempo estabelece que os norte-americanos ajudarão os russos a montarem um depósito internacional para guardar combustível nuclear usado. O governo do presidente norte-americano, George W. Bush, submeteu o pacto ao Congresso dos EUA ainda em maio, com a expectativa que ele seria aprovado até setembro. Mas após a guerra entre a Rússia e a Geórgia no começo de agosto, os dois países acreditam que a aprovação do acordo será difícil.Um funcionário russo familiarizado com a questão nuclear, que falou sob anonimato, disse que Moscou recebeu uma sinalização de Washington de que o acordo deverá ser submetido ao próximo presidente norte-americano, em 2009. Mas outros funcionários criticaram a postura dos EUA. "Se nós estamos trabalhando na base de um interesse mútuo, então é lógico implementar esse acordo", disse Dmitry Peskov, um porta-voz do primeiro-ministro Vladimir Putin. "Essa é a velha maneira de fazer as coisas, que nada tem a ver com as realidades atuais."A caminho de Tel-Aviv, em Israel, a secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, disse que o foco atual do governo dos EUA está no acordo nuclear civil com a Índia. Há alguns dias, o senador democrata Joseph Biden, candidato a vice-presidente na chapa de Barack Obama, disse que a incursão militar russa na Geórgia "erodiu" as esperanças de avançar na colaboração da produção de energia nuclear com a Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.