Tensão entre Índia e Paquistão diminuiu, diz Powell

O secretário de Estado americano, Colin Powell, chegou hoje à capital indiana, depois de ter visitado o Paquistão na quarta-feira, e declarou que o governo paquistanês está considerando entregar à Índia os terroristas não paquistaneses que constam da lista com 20 nomes cuja extradição é exigida pelo governo de Nova Délhi. "Ele (o presidente paquistanês, Pervez Musharraf) está considerando que a atitude mais apropriada seria devolvê-los para o lugar de onde vieram", disse Powell à imprensa logo após reunir-se com o chanceler indiano, Jaswant Singh. Uma das condições impostas pela Índia para a retomada do diálogo é a extradição para julgamento em Nova Délhi das 20 pessoas (algumas indianas) acusadas de atividades terroristas e de envolvimento no atentado suicida de 13 de dezembro contra o Parlamento indiano. Powell também declarou que, na sua opinião, diminuíram consideravelmente as tensões entre a Índia e o Paquistão. "Não creio que a situação seja tão perigosa como há uma ou duas semanas", disse à TV americana CBS. O secretário de Estado disse que os indianos responderam positivamente às medidas de repressão adotadas por Musharraf contra os grupos extremistas islâmicos, mas ainda exigem mais ação. Powell se reunirá amanhã com o primeiro-ministro indiano, Atal Behari Vajpayee, e seu assessor de Segurança nacional antes de viajar para o Nepal. Apesar da repressão do Paquistão aos rebeldes integristas, duas pessoas morreram e oito ficaram feridas hoje com a explosão de uma bomba em um grande mercado na localidade de Jammu, capital de inverno da Caxemira indiana. Nenhum grupo assumiu o atentado.

Agencia Estado,

17 Janeiro 2002 | 17h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.