Tensão faz Iraque adiar 1º censo nacional em 22 anos

Ministro disse que contagem da população poderia alimentar disputas étnicas e políticas.

BBC Brasil, BBC

17 de agosto de 2009 | 14h15

O governo iraquiano adiou indefinidamente a realização do primeiro censo nacional em 22 anos no país por medo de que ele pudesse alimentar tensões étnicas e políticas.

A contagem populacional, que estava marcada para o mês de outubro, tinha o objetivo de revelar os tamanhos das diversas comunidades étnicas e religiosas do Iraque.

Mas, de acordo com o ministro do Planejamento, Ali Baban, o censo também poderia acirrar as disputas entre árabes e curdos por áreas no norte do país, como a da cidade de Kirkuk, rica em petróleo.

O último censo nacional no Iraque foi realizado em 1987. Dez anos depois, foi realizada uma outra contagem, que, no entanto, excluiu a população curda. O censo de 1997 aponta que o Iraque tinha 26 milhões de habitantes na época.

Disputa

De acordo com o ministro do Planejamento do Iraque, o país está "tecnicamente pronto para realizar o censo", mas o governo decidiu "adiá-lo indefinidamente" após ser alertado a respeito dos "temores e preocupações de grupos políticos de Kirkuk e da Província de Ninive (também no norte do Iraque)" com o processo de contagem.

Membros da etnia curda afirmam que a cidade de Kirkuk, no norte do país, é sua capital histórica e reclamam o domínio da área, que é rica em petróleo.

Entretanto, a população árabe e turcomana da cidade não quer que Kirkuk passe ao controle curdo. Os membros da etnia também reclamam o domínio sobre algumas áreas da Província de Ninive.

Segundo autoridades americanas, as disputas entre árabes e curdos por territórios e recursos são a maior ameaça à segurança do Iraque atualmente. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.