Tensão sectária em país vizinho assusta alauitas na Turquia

Cenário: Jeffrey Gettleman / NYT

O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2012 | 03h04

Enquanto a guerra civil da Síria se transforma em um sangrento confronto sectário entre as tropas do governo dominado pelos alauitas e a maioria sunita muçulmana, as tensões se avolumam entre a minoria alauita da Turquia e a maioria sunita muçulmana do país. Estimados entre 15 milhões e 20 milhões, os alauitas turcos aparentemente apoiam o ditador sírio, Bashar Assad. O governo da Turquia e muitos sunitas apoiam os rebeldes sírios.

Os alauitas temem que a violência sectária se espalhe pela fronteira. Já os campos de refugiados superlotados e sufocantes ao longo dela estão rapidamente se tornando redutos de sentimentos antialauitas.

Muitos alauitas que vivem na Turquia, principalmente no leste do país, falam árabe e mantêm estreitas relações com os alauitas na Síria. Eles suspeitam da geopolítica em geral e analistas de política externa afirmam que eles podem até estar com a razão.

O governo turco é liderado por um partido de raízes islâmicas que devagar, mas sem sombra de dúvidas, tenta introduzir a religião, particularmente o Islã sunita, na esfera pública, rejeitando décadas de governo decididamente secular. Os alauitas turcos acham inquietante e um pouco hipócrita a aliança da Turquia com a Arábia Saudita, um dos países mais repressivos do mundo, e com o Catar, uma monarquia religiosa, ambas sunitas, para levar a democracia à Síria.

Os alauitas ressaltam o aumento do número de jihadistas estrangeiros que entram na Turquia com o objetivo de combater uma guerra santa nos campos de batalha da Síria. Muitos jihadistas estão obcecados pela ideia de transformar a Síria, que sob o governo da família Assad é um dos países mais seculares do Oriente Médio, num Estado islâmico radical.

Segundo Ali Carkoglu, professor de relações internacionais na Universidade Koc, de Istambul, o governo da Turquia está utilizando, cada vez, mais uma linguagem sectária e tentando fazer o papel de "irmão mais velho sunita" na região. Assim como a Síria, a população da Turquia é predominantemente sunita. Representantes do governo turco negaram que haja discriminação contra os alauitas e dizem estar "atentos e sensíveis" aos temores dos alauitas. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.