Tensões aumentam em Israel após morte de adolescentes

Um palestino integrante do grupo militante Hamas foi morto a tiros quando atirou um granada contra forças israelenses que realizavam uma ação para deter palestinos na Cisjordânia, horas depois da descoberta dos corpos de três adolescentes israelenses que haviam desaparecido mais de duas semanas atrás.

Agência Estado

01 Julho 2014 | 11h06

As tensões no país se intensificaram desde que os corpos foram encontrados. O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu responsabilizou o Hamas e disse que eles "pagarão" pelas mortes, enquanto militantes de Gaza, área controlada pelo Hamas, intensificaram o lançamento de foguetes contra o território de Israel, o que, por sua vez, resultou em ataques aéreos israelenses que podem ampliar o conflito na região.

Eyal Yifrah, de 19 anos, Gilad Shaar, de 16, e Naftali Fraenkel, também de 16 anos que tinha cidadania israelense e norte-americana, desapareceram no dia 12 de junho quando caminhavam para casa vindo de seminários judaicos onde estudavam, nas proximidades da cidade de Hebron, na Cisjordânia. Os corpos dos jovens foram encontrados na noite de segunda-feira, após 17 dias de intensas buscas.

Um oficial de Defesa disse que, baseado nas investigações, os adolescentes foram mortos a tiros logo depois de terem sido sequestrados. Ele falou em condição de anonimato. O Hamas, que sequestrou israelenses no passado, elogiou o rapto dos adolescentes mas não assumiu a responsabilidade pelo ato.

Em Gaza, o porta-voz do Hamas, Sami Abu Zuhri, advertiu Israel contra uma ampla ofensiva contra o grupo, afirmando que o Hamas vai "abrir as portas do inferno" em Israel.

O ministro da Defesa Moshe Yaalon divulgou um comunicado nesta terça-feira prometendo encontrar os responsáveis pelas mortes. "Nós responsabilizamos o Hamas pelos sequestros e assassinatos. Vamos continuar a perseguir os assassinos dos adolescentes e não descansaremos até colocarmos nossas mãos neles", afirmou.

O homem morto nesta terça-feira foi a primeira vítima desde que os corpos foram encontrados.

Um porta-voz militar disse que ataques aéreos atingiram 34 alvos em Gaza durante a noite depois que mais de 20 foguetes foram disparados contra Israel desde a noite de domingo. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Israel palestinos adolescentes Hamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.