Tensões crescem no Mar da China após Filipinas apreender barco chinês

A polícia das Filipinas apreendeu um barco pesqueiro chinês no disputado Mar do Sul da China, disse uma autoridade à Reuters, alimentando ainda mas as tensões entre os dois países nas águas ricas em petróleo e gás que são reivindicadas totalmente ou em parte por seis países asiáticos.

Reuters

07 Maio 2014 | 09h33

O superintendente-chefe do Grupo Marítimo da Polícia Nacional das Filipinas, Niel Vargas, disse que uma patrulha apreendeu uma embarcação pesquisa chinesa na manhã (horário local) da terça-feira na região do banco de areia de Half Moon - localizado dentro da zona econômica de 200 milhas das Filipinas.

O barco tinha 11 tripulantes e a polícia encontrou 500 tartarugas nele, algumas das quais já mortas, afirmou a autoridade, acrescentando que um barco filipino tripulado também foi apreendido, com 40 tartarugas. Várias espécies de tartarugas são protegidas pela lei das Filipinas.

A polícia marítima agora está rebocando os barcos para a cidade de Puerto Princesa, na ilha da Palawan, onde serão formalizadas as acusações, disse Vargas. Uma segunda fonte naval filipina disse que havia duas embarcações chinesas, mas a outra escapou.

O incidente pode irritar o governo chinês, considerando que a China reivindica quase a totalizada do Mar do Sul da China, rejeitando apelos do Vietnã, das Filipinas, Taiwan, Malásia e Brunei.

A agência de notícias oficial da China disse que havia sido perdido contato com 11 pescadores, que teriam sido interceptados por "homens armados" em águas próximas às Filipinas.

O Ministério de Relações Exteriores da China não respondeu imediatamente a pedidos de comentários.

(Por Manuel Mogato e Ben Blanchard)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))

REUTERS MTS

Mais conteúdo sobre:
CHINA FILIPINAS TENSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.