Tentativa de adesão à ONU reúne milhares em Taiwan

Pelo menos 250 mil pessoas, incluindo o presidente Chen Shui-bian, pedem a inclusão na Organização

REUTERS

15 de setembro de 2007 | 12h58

Cerca de 250 mil pessoas participaram demanifestações em duas cidades de Taiwan neste sábado, em apoioaos esforços da ilha, fadados ao fracasso, para se tornarmembro da Organização das Nações Unidas (ONU). Cerca de 150 mil pessoas, incluindo o presidente ChenShui-bian, fizeram passeata na cidade portuária de Kaohsiung,usando camisas verdes pró-ONU e agitando bandeiras. EmTaichung, as forças da oposição política reuniram pelo menos100 mil pessoas. "O mais importante é que a ONU e os Estados Unidos percebamque este esforço pró-ingresso na ONU não é apenas obra de ChenShui-bian", disse um manifestante em Kaohsiung, o empresárioWang Chun-kai, 35 anos. Representantes do governo dizem que sabem que o pedido deintegração à ONU vai fracassar, provocando especulações de queo governista Partido Democrático Progressista (MCT) o estejausando para reforçar a agenda de maior independência da China,ao incentivar a insatisfação na própria ilha. A expectativa é de que a ONU rejeite o pedido naterça-feira. As repetidas tentativas de adesão de Taiwan à ONU sob seutítulo formal, República da China, fracassaram nos últimos 10anos, mais recentemente em julho. A ONU expulsou Taipé em favorde Pequim em 1971. O fato de a China ser membro permanente do Conselho deSegurança da ONU, com direito a veto, significa que Taiwan nãotem chances de ingressar na organização. Desde que a ilha se separou dos comunistas de Mao Tsé-tungapós a guerra civil de 1949, a China vê Taiwan, ilha autônoma edemocrática, como parte de seu território e não um paísseparado. Neste sábado, a China deu mais uma prova de força emrelação a Taiwan com novos exercícios militares. Xangai, umpossível alvo de mísseis taiuaneses no caso de um conflito,realizou um grande exercício aéreo, sinal de que a China aindavê chances de uma guerra na região.

Tudo o que sabemos sobre:
TAIWANONUMANIFESTACOES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.