EFE/EPA/MOHAMED MESSARA
EFE/EPA/MOHAMED MESSARA

Tentativa de atendado à Embaixada dos EUA na Tunísia deixa seis feridos

Dois homens-bomba tentaram invadir a embaixada americana na capital do país e se explodiram em seguida

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2020 | 11h08

Um duplo atentado suicida perto da Embaixada dos Estados Unidos em Túnis, na Tunísia, deixou seis pessoas feridas nesta sexta-feira, 6. 

A explosão aconteceu antes do meio-dia (horário local), perto da embaixada situada em um bairro a cerca de dez quilômetros do centro da capital.

O ataque "provocou a morte de dois agressores, ferimentos em cinco policiais e lesões leves em um civil", relatou o Ministério do Interior em um comunicado.

As circunstâncias do episódio ainda não foram confirmadas. Segundo a imprensa dos Estados Unidos, o atentado visava a embaixada americana.

Segundo uma autoridade policial ouvida pela AFP, um invasor morreu quando tentava forçar a entrada da embaixada, um lugar protegido por bloqueios de segurança.

Um dos homens-bomba estava de moto, relatou outro policial que testemunhou a ocorrência.

No Twitter, a embaixada dos EUA disse ter tomado medidas após uma explosão e pediu que a população evitasse a área.

O último atentado no país remonta ao final de junho de 2019, quando houve um duplo atentado suicida contra policiais no centro da capital. O alvo era um quartel das forças de segurança.

Reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI), este ataque provocou a morte de um policial e fez ressurgir o espectro da violência em um país traumatizado por uma série de atentados em 2015-2016.

A Tunísia se encontra em estado de emergência desde novembro de 2015, quando um ataque suicida contra a guarda presidencial na capital matou 12 agentes. O EI também assumiu a autoria deste atentado./AFP e REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.