AP Photo/Emrah Gurel
AP Photo/Emrah Gurel

Tentativa de golpe militar na Turquia custou ao menos US$ 100 bilhões à economia do país

Segundo o ministro turco de Comércio e Alfândegas, número pode aumentar se forem feitos cálculos mais detalhados

O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2016 | 11h04

ISTAMBUL, TURQUIA - A tentativa fracassada de golpe militar no dia 15 de julho na Turquia custou ao menos US$ 100 bilhões para a economia do país, segundo o ministro turco de Comércio e Alfândegas, Bülent Tüfenkci.

"Se considerarmos todos esses aviões de guerra, helicópteros, armas, bombas e edifícios (danificados), o custo é de 300 bilhões de liras (cerca de US$ 100 bilhões) pelo menos, segundo nossos cálculos iniciais", precisou Tüfenkci, citado nesta terça-feira, 2, pelo jornal Hürriyet.

O ministro disse que se trata de uma estimativa inicial e que o número pode aumentar com cálculos mais detalhados. Além disso, serão somados "vários custos a médio prazo" derivados, por exemplo, de cancelamentos de encomendas do exterior ou de viagens de turistas, explicou o ministro, segundo o qual os golpistas "criaram uma imagem da Turquia, por assim dizer, do Terceiro Mundo".

O ministro reconheceu que no setor turístico ocorrerão cancelamentos por parte dos mais de 3 milhões de funcionários turcos dos quais o governo suspendeu as férias anuais. Segundo Tüfenkci, já foi registrado um milhão de cancelamentos de reservas.

O levante e suas consequências é um golpe mais para o turismo turco, já debilitado por vários ataques terroristas e um boicote da Rússia durante meses em razão da queda de um caça russo por parte da Turquia em novembro, suspenso há poucos dias.

Por outro lado, Tüfenkci disse que apesar da tensa situação criada após o golpe, foi possível evitar o fechamento de bancos, e garantiu que não houve grandes fugas de capital estrangeiro.

A agência de qualificação creditícia Standard and Poor's (S&P) rebaixou, no entanto, no dia 20, a solvência da Turquia e a dívida a longo prazo do país, tanto em moeda local como estrangeira, em um degrau, até deixá-la no grau especulativo.

A agência vê riscos para a futura capacidade de pagamento do país porque considera que, em razão do golpe, o cenário político está se polarizando e os equilíbrios institucionais estão se deteriorando. / EFE

Veja abaixo: Golpe na Turquia: tiros são ouvidos perto da Ponte do Bósforo, em Istambul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.