Tepco tentará reativar sistema de refrigeração de reatores de Fukushima

Empresa que administra usina deve usar cabos de energia para tentar conter vazamento de radiação

estadão.com.br

16 de março de 2011 | 21h39

 

TÓQUIO - A Tokyo Electric Power Company (Tepco), empresa que administra a usina nuclear de Fukushima Daichi, no nordeste do Japão, informou nesta quinta-feira, 17 de acordo com o horário local), que tentará instalar dispositivos que levem energia e reativem os sistemas de refrigeração dos reatores do complexo para evitar maiores vazamentos de material radiativo.

 

Veja também:

blog Twitter: Siga a correspondente Cláudia Trevisan, que está no Japão

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

especial Especial: A crise nuclear japonesa

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

som Território Eldorado: Ouça relato do embaixador e de brasileiros no Japão

mais imagens Galeria de fotos: Tremor e tsunami causam destruição

blog Arquivo Estado: Terremoto devastou Kobe em 1995

 

A companhia informou que os trabalhos para reativar os sistemas e refrigeração poderia começar ainda na manhã da quinta-feira, de acordo com a emissora japonesa NHK. A prioridade da empresa é recolocar os dispositivos em funcionamento para que os núcleos dos reatores sejam resfriados.

 

Os planos, de acordo com a Tepco, são usar cabos de energia de outra companhia e ligá-los em uma central provisória, que seria usada como fonte de emergência para os sistemas de refrigeração. A companhia afirmou que tal operação não pode ser realizada na quarta-feira por conta dos altos níveis de radiação registrados na área de Fukushima. O procedimento, segundo a Tepco, deverá ser concluído o quanto antes para evitar a exposição exagerada de seus técnicos à radiação.

 

Enquanto isso, outros métodos são tentados para que as barras de combustível dos reatores sejam resfriadas. A polícia de Tóquio planeja usar um canhão de água de um caminhão de bombeiros,no reator nuclear número 1. Os técnicos da usina já tentaram usar a água do mar.

 

Todos os seis reatores da usina apresentaram problemas no sistema de refrigeração devido aos danos sofridos por conta do terremoto de magnitude 9,0 e do tsunami subsequente que atingiram o Japão na sexta. Houve explosões em alguns deles, incêndios em outro e os núcleos de três deles sofreram danos. As autoridades japonesas lutam contra o que poderia se transformar em um desastre nuclear.

 

Os EUA afirmaram que os níveis de radiação registrados na área de Fukushima estão "extremamente altos". O governo japonês, porém, já afirmou que a radiação registrada não apresenta riscos à saúde, embora tenha admitido que os núcleos tenham sofrido danos. Há registros de que mais pessoas tenham sido contaminadas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.