Terceira sonda entra em operação para resgatar mineiros presos no Chile

Na melhor das previsões, perfuradora petrolífera poderá alcançar os trabalhadores em 28 dias

Agência Estado e Efe,

19 de setembro de 2010 | 20h03

Piñera conversa com mineiros por vídeoconferência

 

Uma gigantesca perfuradora petrolífera começou a cavar a terra neste domingo, 19, para chegar a uma câmara na mina de cobre e ouro onde estão presos 33 mineiros chilenos desde agosto a 700 metros de profundidade.

 

Veja também:

especialInfográfico: animação mostra como será o resgate

especialLinha do tempo: os piores acidentes da década

 

"Hoje pela primeira vez temos as três máquinas trabalhando simultaneamente. Não sabemos qual vai chegar, mas sabemos uma coisa: com a ajuda de Deus, vão chegar", disse o presidente do país, Sebastián Piñera, após se reunir com parentes dos mineiros na entrada da Mina San José, a 850 quilômetros ao norte de Santiago.

A sonda petrolífera é a terceira que entra em operação para o resgate dos mineiros. Se não ocorrerem problemas técnicos e mecânicos na perfuradora petrolífera, a sonda poderá alcançar os mineiros com uma abertura suficientemente ampla para que eles sejam resgatados em 28 dias, ou seja, em meados de outubro.

 

Até hoje, eram duas as perfuradoras que faziam os trabalhos de resgate dos trabalhadores: a Strata 950, responsável pelo plano A e que alcançou os 320 metros de profundidade, e uma T-130, que finalizou sua primeira fase após alcançar os 620 metros e chegar a um local onde os mineiros tem acesso para fazer o caminho inverso, em direção a superfície.

 

As duas máquinas devem agora alargar as sondas já escavadas para a comunicação com os mineiros até um diâmetro de entre 66 e 70 cm.

 

No sábado, os mineiros começaram a trabalhar em seu próprio resgate, retirando escombros dentro da mina.  As equipes que atuam na superfície lhes darão nos próximos dias instruções e material para remover as 200 toneladas de terra que a perfuradora mais avançada deixa na passagem.

 

Segundo o psicólogo Claudio Ibáñez, os mineiros "estão muito bem de ânimo, mental e psicologicamente". "Não só se sentem objeto de resgate, mas se sentem atores e parte da equipe de resgate", afirmou.

 

Drama

 

Os 33 mineiros sobreviveram por 19 dias com uma dieta racionada de duas colheres de atum enlatado, um gole de leite e meio biscoito a cada 48 horas.

 

O único canal de comunicação com o exterior tem 15 centímetros de diâmetro. É por lá que as equipes de resgate começaram a enviar soro e rações de proteína e glicose, semelhantes às consumidas por astronautas. Dentro da mina, os mineiros contam com acesso à água e canais de ventilação.

 

O resgate será feito por uma perfuradora que abrirá caminho no solo. Andres Sougarret, chefe da operação, afirmou que o período para abrir um túnel largo o bastante para a passagem segura dos homens pode levar até quatro meses.

 

Isabel Allende

 

Piñera e a escritora Isabel Allende transmitiram hoje uma mensagem de esperança aos mineradores soterrados na jazida San José, em meio ao otimismo pelos avanços nos trabalhos de resgate e na euforia pelo Bicentenário de independência do país.

 

"Esta é minha quinta visita. Espero que a próxima seja para abraçar os 33 mineradores como presidente e em nome de todos e cada um dos chilenos", declarou o líder em companhia de sua mulher, Cecilia Morel, após dar início ao terceiro plano de resgate.

 

"Os mineradores resistiram, se mantiveram unidos e lutaram por suas vidas", acrescentou Piñera, para quem esta integridade representa um exemplo a um país que celebra neste fim de semana os 200 anos de sua independência.

 

O presidente chegou neste domingo à jazida San José acompanhado da escritora Isabel Allende ("A Casa dos Espíritos", 1982), recentemente agraciada com o Prêmio Nacional de Literatura e quem tinha expressado seu desejo de visitar os operários soterrados há um mês e meio.

 

"Venho de fora, da Califórnia, e em todas as telas de televisão do mundo estão os rostos dos 33 mineradores, está o nome do Chile", disse a escritora, emocionada.

 

Além de uma coleção de livros, a escritora chegou à mina com um singular presente: 33 camisas usadas pelos nadadores que há pouco cruzaram a baía de San Francisco (Estados Unidos), do continente à ilha de Alcatraz. Entre eles, estava Nicolás, filho de Isabel.

 

Isabel Allende e o presidente Piñera falaram com os mineradores por meio de videoconferência para transmitir-lhes uma simbólica mensagem de ânimo e esperança no Bicentenário de independência do Chile.

 

"Tomara que este espírito de unidade, confiança e orgulho de ser chilenos que se respira aqui nesta mina e em cada canto do Chile nos ilumine neste terceiro século de vida independente", afirmou o líder.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Chilemineirosresgatesonda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.