REUTERS/Fredy Builes
REUTERS/Fredy Builes

Terceiro colocado na Colômbia não apoiará ex-guerrilheiro em segundo turno

Decisão aumenta favoritismo de conservador Iván Duque, em primeiro lugar na votação deste domingo

Rodrigo Cavalheiro ENVIADO ESPECIAL A TIBÚ CATATUMBO, COLÔMBIA, O Estado de S.Paulo

27 Maio 2018 | 20h03

O esquerdista Gustavo Petro garantiu um lugar no segundo turno da eleição colombiana, mas não contará com o decisivo apoio do terceiro colocado, Sergio Fajardo, ex-prefeito de Medellín. A informação foi repassada ao Estado por uma fonte próxima a Fajardo. Isso aumenta o favoritismo do conservador Iván Duque, que obteve 39,1% dos votos na votação deste domingo, 27. Petro conseguiu 25,1% dos votos, enquanto Fajardo alcançou 23,7%. O segundo turno será disputado em 17 de junho.

Duque é o favorito para substituir o presidente Juan Manuel Santos, que em oito anos no poder chegou a um acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), ganhou um Nobel da Paz por isso, mas tem 14% de popularidade. Duque é um advogado de 41 anos que representa a escola política do ex-presidente Álvaro Uribe, maior inimigo de Santos. Sua experiência política se resume a um mandato de quatro anos como senador.

Petro enfrenta dificuldades para conseguir votos de centro, por sua ligação histórica com o chavismo, em um momento em que a Colômbia recebe milhares de venezuelanos que fogem do governo de Nicolás Maduro. Fajardo teria, segundo os últimos levantamentos, maior chance de bater Duque em um segundo turno. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.