Termina a cirurgia de Sharon

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, submeteu-se a uma cirurgia de emergência que durou cinco horas e terminou na tarde desta sexta-feira. A operação foi decidida depois que uma tomografia cerebral mostrou um aumento na pressão intracraniana e uma nova hemorragia no cérebro. Especialistas não ligados ao caso, ouvidos por jornalistas, dizem que o prognóstico nesse tipo de situação não é bom.A pressão sanguínea do premier também subiu, e houve uma leve expansão de um dos ventrículos do cérebro, disse o médico Shlomo Mor-Yosef, diretor do Hospital Hadassah, onde o primeiro-ministro está internado. Assessores de Sharon, que acorreram ao hospital, aguardavam do lado de fora. Após a operação, o premier foi conduzido para uma nova tomografia. Shimon Peres, estadista israelense e aliado de Sharon, declarou-se "muito preocupado".A operação desta sexta-feira seguiu-se a uma operação de sete horas, realizada na manhã de quinta-feira, depois que o premier sofreu uma grave hemorragia cerebral. Os médicos o submeteram a um coma induzido, e muitos especialistas ouvidos acreditam que as chances de recuperação são mínimas. Assessores do primeiro-ministro dizem que já trabalham com o pressuposto de que Sharon não voltará ao cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.