Termina greve de fome de imigrantes na Austrália

O governo australiano anunciou hoje o fim de duas semanas de greve de fome entre imigrantes detidos em um remoto centro de detenção, afirmando que a crise fora causada por uma mal-entendido sobre o processo de pedido de asilo. Desde o último dia 16, centenas de imigrantes - a maioria de albaneses - detidos na antiga base de Woomera, no estado de South Australia, recusavam comida em protesto contra as condições do campo de detenção e a lentidão do processo de pedido de asilo. Hoje, 249 pessoas, incluindo 13 crianças e um adulto cujo lábios foram costurados em protesto, se alimentaram normalmente. Outros nove detidos, todos com 18 anos, que ameaçavam se matar caso não fossem transferidos de Woomera, também finalizaram sua manifestação. Um dos detidos, Hassan Vadrasi, que geralmente fala em nome dos estrangeiros, confirmou à televisão australiana o fim do movimento. O ministro da Imigração australiano, Philip Ruddock, disse que o grupo finalizou seu protesto depois que negociadores do governo garantiram a eles que seu pedido de asilo seria analisado. A Austrália parou de processar pedidos de asilo a afegãos em dezembro, argumentando que a queda do regime Taleban significa que eles não se enquadram mais na categoria de candidatos a asilo. Há cerca de 3.000 imigrantes ilegais, a maioria de afegãos, iraquianos e iranianos, presos atualmente em campos de detenção na Austrália.

Agencia Estado,

30 Janeiro 2002 | 13h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.