Termina o combate em escola russa

A agência de notícias russa ITAR-Tass, citando o centro de operações para a crise da tomada de reféns numa escola da Ossétia do Norte, informa que a resistência armada às autoridades dentro do edifício escolar terminou, horas depois da invasão do prédio por forças de segurança. Homens e mulheres armados e equipados com cinturões explosivos haviam invadido a Escola nº 1 de Beslan na quarta-feira, tomando mais de 1.200 pessoas - entre pais, professores e alunos - como reféns. Cerca de 53 horas após o início da crise, período no qual os seqüestradores ameaçaram explodir a escola, matar crianças e se recusaram a aceitar água e comida, tropas russas invadiram o local. Segundo um policial, a invasão foi determinada pela explosão de bombas no ginásio da escola. Um refém disse que viu uma mulher-bomba detonar os explosivos que carregava.O número de mortos pode superar os 150, segundo autoridades russas. Cerca de 90 corpos já foram identificados. Há mais de 600 feridos, sendo mais da metade, crianças.?Dez seqüestradores morreram, dizem autoridades russas?Eles tinham olhar de pessoas loucas?, diz refém Cinegrafista diz ter visto cem corpos em escolaSeqüestradores ainda trocam tiros com soldados russosPelo menos 200 pessoas estão internadas em BeslanPelo menos 30 pessoas conseguem fugir da escola russa Situação continua crítica em escola russa, em Beslan

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.