Termina oficialmente a guerra na Costa do Marfim

O governo da Costa do Marfim e líderes rebeldes declararam oficialmente o fim da guerra civil no país, nove meses depois do início de conflitos gerados por uma tentativa frustrada de derrubar o presidente Laurente Gbagbo. Em uma declaração conjunta, forças governamentais e rebeldes afirmam que "declaramos o fim da guerra hoje, 4 de julho de 2003", e conclamam "todas as pessoas que vivem em território marfinense a seguirem o caminho da paz". Representantes do Exército e dos rebeldes também fizeram um pronunciamento conjunto em rede nacional de televisão. Minutos depois, apareceu o próprio Gbagbo, que deu boas-vindas à paz no país. Ambos os lados garantiram que os serviços administrativos serão normalizados nas zonas ocupadas do norte do país. Não ficou claro por que esta sexta-feira foi escolhida como o dia para se declarar formalmente a paz na Costa do Marfim. Apesar de um governo nacional de reconciliação, o país continua tenso e ainda dividido por linhas de cessar-fogo entre o sul (administrado pelo governo) e o norte (dominado pelos rebeldes).

Agencia Estado,

04 Julho 2003 | 18h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.