Termina seqüestro de filha de megaempresário argentino

Florencia Macri, filha do megaempresário argentino Francisco Macri, foi libertada esta madrugada após permanecer seis dias seqüestrada. Embora a família não tenha confirmado, a libertação de Florencia teria ocorrido depois do pagamento de um resgate de US$ 800 mil. Esta foi a segunda vez que a família foi vítima de um seqüestro. Mauricio Macri, o filho mais famoso de Francisco por ser o presidente do clube de futebol Boca Juniors e agora aspirante a governar a cidade de Buenos Aires, já tinha sido seqüestrado em agosto de 1991. A família pagou um montante não divulgado pela sua libertação, que ocorreu uma semana após o seqüestro. Metade do faturamento do grupo Macri em seu último exercício fiscal teve origem no Brasil. As atividades do grupo no Brasil incluem a Canale Do Brasil, Isabela (massas e biscoitos), Basilar (massas), Zabet (biscoitos) e na Adria (farináceos). A lista engloba ainda os frigoríficos Prenda, no Rio Grande do Sul, e Chapecó, em Santa Catarina, cujo controle acionário teve de ceder aos credores no final de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.