Terremoto da Indonésia soterra 644 pessoas em vilarejos

Pelo menos três vilarejos da Indonésia foram destruídos por deslizamentos de terra resultantes de terremotos e 644 pessoas estão soterradas, entre montanhas de lama e escombros, segundo fontes oficiais. Entre as vítimas, 400 participavam de uma festa de casamento.

AE-AP, Agencia Estado

03 de outubro de 2009 | 11h00

Os danos do terremoto que atingiu o país na quarta-feira, com 7,6 pontos na escala Richter, estão ficando mais aparentes apenas três dias depois. Aos poucos, socorristas e representantes do governo alcançam os vilarejos mais remotos nos montes ao longo da costa oeste da ilha de Sumatra.

Se todas as 644 pessoas soterradas estiverem mortas, como é provável, seriam mais de 1,3 mil vítimas fatais no desastre. O registro oficial do governo indica 715 mortos até o momento, com mais falecimentos reportados na região da maior cidade, Padang, onde os esforços adicionais estão concentrados.

Mais de 3 mil pessoas foram tidas como desaparecidas, antes de virem à tona notícias sobre a destruição nos vilarejos. O chefe do centro de crises do Ministério da Saúde, Rustam Pakaya, afirmou que as vilas de Pulau Aiya, Lubuk Lawe e Jumena, no distrito de Pariaman, foram completamente destruídas pelos deslizamentos de terra.

Cerca de 400 pessoas estavam em um casamento em Pulau Aiya, quando terremoto provocou deslizamentos. Em comunidades rurais da Indonésia, casamentos costumam ser abertos para todo o vilarejo. "Eles estão presos sob 30 metros de terra", disse Pakaya. "Até a torre da mesquita, que tem mais de 20 metros, desapareceu", declarou Pakaya, completando que as outras 244 pessoas foram soterradas em Lubuk Lawe e Jumena. Apenas 26 corpos foram encontrados até o momento.

O vice-presidente da Indonésia, Jusuf Kalla, estimou que o terremoto afetou aproximadamente 17% dos edifícios nas áreas mais atingidas. Ele disse que as operações de recuperação custarão pelo menos US$ 400 milhões. Ajudas humanitárias em dinheiro já foram enviadas por Austrália, Reino Unido, China, Dinamarca, União Europeia, Alemanha, Japão, Malásia, Cingapura, Coreia do Sul, Suíça e Estados Unidos, segundo fontes do governo.

O terremoto de quarta-feira teve origem no mesmo fenômeno que provocou o tsunami na Ásia que matou 230 mil pessoas em doze países.

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésiaterremotovítimas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.