Orietta Scardino / Ansa / AP
Orietta Scardino / Ansa / AP

Terremoto de 4,8 graus de magnitude na região do vulcão Etna, na Itália, deixa 10 feridos

Área registrou 11 tremores secundários após o principal, que provocou danos em prédios antigos

Redação, O Estado de S.Paulo

26 Dezembro 2018 | 08h46
Atualizado 26 Dezembro 2018 | 14h30

ROMA, ITÁLIA - A região do vulcão Etna, na Itália, que entrou em erupção na segunda-feira, foi abalada por um terremoto de 4,8 graus de magnitude na madrugada desta quarta-feira, 26, que deixou dez pessoas levemente feridas e provocou danos em prédios antigos, informou o Serviço de Proteção Civil.

Uma senhora sofreu várias fraturas, de acordo com a agência de notícias Agi. Outras 18 pessoas buscaram, por conta própria, atendimento nos estabelecimentos médicos próximos por arranhões superficiais ou em estado de choque.

O Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV) informou que o terremoto foi registrado durante a madrugada a apenas 1 km de profundidade.

Uma pequena parte da estrada à beira do mar foi fechada por precaução, mas o Aeroporto de Catania, a capital da província, muito próximo do vulcão, permanece aberto.

Após o terremoto de 4,8 graus na escala Richter, a região registrou 11 tremores secundários. De acordo com o INGV, mais de 130 tremores foram registrados desde segunda-feira, pouco depois do início da erupção, que aconteceu na parte lateral do Etna, a primeira em 10 anos.

O Etna, com 3.300 metros, é o vulcão mais ativo da Europa, com erupções frequentes, conhecidas há pelo menos 2.700 anos.

No fim de março, um estudo publicado na revista Bulletin of Volcanology mostrou que o Etna desliza muito lentamente em direção ao Mediterrâneo, a um ritmo constante de 14 milímetros por ano. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.