Terremoto de 4,9 graus estremece extremo norte do Chile

Marinha declarou que 'as características do tremor não reúnem as condições necessárias para gerar um tsunami' no litoral do país

Efe

28 de dezembro de 2014 | 19h33

SANTIAGO - Um terremoto de magnitude 4,9 na escala Richter afetou neste domingo, 28, às regiões de Arica, Parinacota e Tarapacá, no extremo norte do Chile, porém ainda sem informações sobre vítimas ou danos. Pela escala Richter, o tremor é considerado 'ligeiro', com pouco potencial para danos.


De acordo com o Centro Nacional de Sismologia da Universidade de Chile, o tremor foi sentido às 15h14 (horário local, 16h14 em Brasília), a 72 quilômetros ao sudoeste de Colchane, a 2 mil quilômetros ao norte de Santiago e a 113,8 quilômetros de profundidade.


No entanto, o Escritório Nacional de Emergência (Onemi), vinculado ao Ministério do Interior, informou que as intensidades do tremor na escala internacional de Mercalli, que vai de um a 12, foram de dois nas localidades de Cuya, Alto Hospicio, Camiña, Iquique, El Loa e Pozo Almonte, e de três em Huara.


O Serviço Hidrográfico e Oceanográfico da Marinha (SHOA) declarou que "as características do tremor não reúnem as condições necessárias para gerar um tsunami no litoral do Chile".

Mais conteúdo sobre:
Chileterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.