Kalymnos-news/via AP
Kalymnos-news/via AP

Terremoto de 6,7 graus deixa dois mortos em ilha na Grécia

Abalo foi registrado no litoral da província turca de Mugla

O Estado de S.Paulo

20 Julho 2017 | 21h54

ISTAMBUL - Um forte terremoto, de 6,7 graus na escala Richter abalou na madrugada desta sexta-feira o litoral da província turca de Mugla, na costa do Mar Egeu. O abalo deixou 2 mortos e cerca de 100 feridos na ilha grega de Kos, mas não causou graves danos no território turco, segundo as primeiras informações.

A agência europeia de terremotos EMSC disse que o tremor poderia causar um pequeno tsunami, mas a mídia turca citou funcionários dos governo dizendo que era mais provável que o abalo causasse a elevação das ondas, mas não um tsunami.

O terremoto ocorreu às 1h31 no horário local (19h31 em Brasília), com hipocentro localizado no Golfo de Gokova, a cerca de 80 quilômetros ao sudoeste da cidade de Mugla, de acordo com dados do Observatório de Kandilli, um órgão oficial que fica em Istambul. O tremor foi sentido nas cidades de Bodrum e Datca, grandes centros turísticos da Turquia, e o arquipélago grego de Dodecanese.

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor atingiu 6,7 graus na escala Richter e foi registrado a 10 quilômetros de profundidade.

O prefeito da Ilha de Kos, Giorgos Kyritsis, disse à mídia estatal que vários edifícios sofreram danos e alguns prédios antigos desmoronaram, mas não deu detalhes sobre os mortos e feridos. A Guarda Costeira também informou sobre danos no porto da ilha e o departamento de bombeiros disse que várias pessoas feridas foram retiradas dos escombros. 

Por causa do terremoto, o fornecimento de eletricidade foi interrompido em várias regiões. O governador da Província de Mugla, Esengül Civelek, disse em entrevista à emissora "NTV" que não havia recebido nenhuma informação sobre grandes danos.

Alguns prédios antigos sofreram rachaduras, mas, até o momento, nenhum deles caiu, de acordo com Civelek. O prefeito da cidade de Mugla, Osman Gürün, indicou que também não foram registrados vítimas ou danos materiais. 

Um terremoto de 6,7 graus é considerado forte e é capaz de causar grandes danos, mas os efeitos deste podem ter sido amenizados por ter ocorrido no mar. Os tremores são frequentes na Turquia e na Grécia, pois os dois países são localizados entre duas placas tectônicas - a Eurásia e a Arábica.

Mais de 600 pessoas morreram em outubro de 2011 em Van, província do leste da Turquia, em razão de terremoto de  7,2 graus e  violentos tremores secundários. Em 1999, dois grandes terremotos mataram cerca de 20 mil pessoas no noroeste densamente povoado da Turquia.  / EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Grécia terremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.