Terremoto de 6,8 graus atinge região central do Japão

De acordo com relatos dos meios de comunicação japoneses, houve o desabamento de pelo menos um prédio, deixando vários feridos

Estadão Conteúdo

22 de novembro de 2014 | 14h00

Um forte terremoto foi registrado uma região montanhosa da área central do Japão na noite deste sábado (horário local), fazendo com que pelo menos um prédio desabasse e deixando vários feridos, segundo relatos de meios de comunicação japoneses. Não foi emitido alerta de tsunami.

O tremor de magnitude 6,8 aconteceu perto da cidade de Nagano, às 22h08 (11h08, em Brasília), a uma profundidade de 10 quilômetros, informou a Agência Meteorológica do Japão. Para o Centro de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) o terremoto teve magnitude 6,2. Como o tremor aconteceu em terra firma, não há a possibilidade da formação de um tsunami.

Uma das áreas mais atingidas parecer ser sido Hakuba, cidade conhecida por suas piscas de esqui a oeste de Nagano, onde foram disputadas provas dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1998. A agência de notícias Kyodo informou que pelo menos um prédio desabou em Hakuba e que várias pessoas ficaram feridas. Não estava claro se os feridos estavam no prédio que ruiu.

O tremor foi sentido em Tóquio, cerca de 200 quilômetros a sudoeste da Hakuba. Um suposto tremor secundário de magnitude 4,3 atingiu a região 30 minutos mais tarde.

Nenhum dano foi informado na usina de energia Kashiwazaki-Kariwa, que fica na cidade de Niigaata, nas proximidades. Todas as usinas nucleares japonesas estão desligadas.

A emissora de televisão NHK informou que um deslizamento de terra bloqueou uma estrada após o terremoto. Segundo a NHK, 200 casas estavam sem fornecimento de energia elétrica. O serviço de trem bala Shinkansen na região foi suspenso temporariamente. A emissora também informou que várias pessoas ficaram feridas. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoterremotoNaganoHakuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.