USGS via EFE
USGS via EFE

Terremoto de 7,6 graus de magnitude abala costa de Honduras; não há registro de feridos

Tremor sacudiu janelas na capital Tegucigalpa e causou rachaduras em algumas casas

O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2018 | 01h59
Atualizado 10 Janeiro 2018 | 08h11

WASHINGTON - Um terremoto de 7,6 graus de magnitude abalou a costa norte de Honduras, no Mar do Caribe, na noite de terça-feira 9, informou o Serviço Geológico dos EUA (USGS, na sigla em inglês). O sismo sacudiu áreas próximas a Cuba e ativou os alarmes de ameaça de tsunami, mas as autoridades informaram que ele não deixou vítimas ou danos até o momento.

+ Terremoto de magnitude 6,5 deixa três mortos e sete feridos na Indonésia

O tremor foi registrado por volta das 20h50 (0h50 em Brasília), a 44 quilômetros do arquipélago das Ilhas de Cisne. Ele sacudiu janelas na capital hondurenha de Tegucigalpa e causou rachaduras em algumas casas, mas não há relatos preliminares de danos maiores. 

+ Famílias vivem nas ruas três meses após terremoto no México

As autoridades locais ativaram por 12 horas o alerta de tsunami nos departamentos de Gracias a Dios, Colón, Atlántida e Islas de la Bahía.

Embora o terremoto tenha sido sentido apenas no território hondurenho continental, o presidente Juan Orlando Hernández pediu que "mantenham a calma, reportem qualquer emergência e sigam todas as instruções".

A porta-voz da Comissão Permanente de Contingências (Copeco), Julissa Mercado, confirmou que não houve vítimas e nenhum dano foi registrado.

"De acordo com nossos parâmetros preliminares de terremotos, é possível que se registrem ondas perigosas de tsunami na costa situada a menos de 1 mil km do epicentro", declarou mais cedo o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico, antes de desativar os alertas e as ameaças de tsunami emitidos para Porto Rico, Ilhas Virgens, Belize, Cuba, México, Jamaica e Ilhas Cayman.

Nas próximas horas, vários desses países ainda podem registrar ondas de 0,3 a 1 metro. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Honduras [América Central] terremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.